Total de visualizações de página

domingo, 30 de outubro de 2011

Jesus, somente um grande líder?






Desde que ingressei na faculdade de administração, venho lendo muitos livros sobre o curso. Temos livros na área de marketing, teoria geral da administração, finanças, enfim, livros didáticos de cada matéria.

Existem alguns livros direcionados ao tema sobre liderança, esses livros não são só para quem cursa administração, qualquer pessoa que tenha interesse e acima de tudo goste de ler poderá ler esses livros sem nenhuma dificuldade. Esses livros nos mostram como ser líderes no ambiente profissional, líderes em casa, líderes na faculdade, na igreja, etc.

Quando falamos em nomes como Gandhi, Abraham Lincoln, Martin Luther King, logo pensamos em vitórias, conquistas e acima de tudo, exemplo de liderança. Uma coisa pode ser reparada, em todos os livros ou pelo menos em 90% temos o exemplo de Jesus, temos lições de como se lidar com as pessoas, como um homem conseguiu fazer de doze homens cada um com seu estilo diferente com que viesse a ser a maior organização do mundo, de como um homem pode usar apenas palavras e acima de tudo seus atos para que todo um mundo fosse impactado por tais atos, todas essas lições e muitas outras coisas poderemos aprender nesses livros de liderança.

Dentre tudo isso, uma coisa que mais me chama a atenção é de como nos dois últimos anos houve um aumento tão grande desses livros onde o tema principal está focado sobre a vida de Jesus e que esses livros estão entre os mais vendidos do mundo, é algo assustador. Alguns livros apontam como Jesus sendo o maior psicólogo que existiu, outros dizem que Jesus era o maior executivo que o mundo já teve, alguns analisam a inteligência de Jesus, isso mesmo, analisam a inteligência de alguém que nunca viram pessoalmente.

Se alguém já leu algum desses livros e se essa pessoa for cristã, irá perceber assim como eu percebi que em todos esses livros eles apresentam Jesus como um modelo de homem a se seguir, um modelo perfeito de liderança, mas não apresentam Jesus como sendo o Filho de Deus, o nosso Salvador e isso que me entristece profundamente, analisam Jesus como um modelo e não o vêem como o Salvador das nossas vidas. Fico aqui imaginando enquanto escrevo esse pequeno artigo, o que Deus deve estar achando sobre tudo isso? O que o próprio Jesus, que não é um mito, mas sim alguém que morreu e ressurgiu e hoje está junto daqueles que escolhem o seguir pode estar pensando sobre isso? Jesus sendo nosso intermediador perante o Pai deve estar falando as mesmas palavras que ele falou quando estava na cruz, "Pai, perdoem-nos, pois não sabem o que fazem."

Hoje Jesus é sinônimo de sucesso e riqueza, um conselho meu, se você souber escrever bem, escreva algo sobre o líder Jesus, faça um contrato com alguma editora e espere seus livros dispararem nas vendas, porém, escreva somente sobre o estilo de liderança de Jesus, porque se você escrever sobre o Salvador Jesus, creio que você será taxado de louco. Enquanto isso vamos vivendo, esperando para o que o grande líder para a maioria e o Salvador para a minoria volte para buscar aqueles a quem aceitarem como o Senhor e Salvador de nossas vidas. (Fp 3.20)

Que Deus nos abençoe.

2 comentários:

Denise Malafaia Cerqueira disse...

Que artigo interessante!
É mesmo, nunca havia pensado nisso, sobre esses livros.
Creio que usam o nome de Jesus porque este nome atrai leitores. Pensam os psicólogos, este livro deve ser interessante nas suas colocações mentais; pensam os executivos: este deve ser um bom livro para executar bem minhas metas; pensam os vendedores: este deve ser um bom livro para injetar volume às minhas vendas...e assim vai o nº de leitores aumentando e os numerais de vendas também.
Eu concordo e entendo a colocação e preocupação do autor deste artigo, mas vale a pena mencionar um texto da Bíblia em que Paulo diz: "Alguns, efetivamente, proclamam a Cristo por inveja e porfia...outros por discórdia, insinceramente...Todavia o que importa? Uma vez que Cristo, de qualquer modo, está sendo pregado, quer por pretexto, quer por verdade..." (Filipenses 1:15-16)
É assim que vejo: Impota que o nome de Jesus Cristo esteja sendo pregado, aleluia!
Bjs e paz, maninha!

Malafaia disse...

Que lembrança boa, Dê! Versículo propício. Realmente, o que importa é proclamar o nome de Cristo...por isso continuemos a proclamar.
Obrigada pelo comentário.
Bjus...Te amo!