Total de visualizações de página

sábado, 3 de dezembro de 2011

Tempo de agradecer





Jesus perguntou: "Não foram purificados todos os dez? Onde estão os outros nove? Não se achou nenhum que voltasse e desse louvor a Deus, a não ser este estrangeiro?" Lucas 17:17-18
O texto acima é extraído de uma das histórias mais marcantes do texto bíblico. Dez leprosos encontram Jesus e pedem misericórdia. Jesus, compadecido da situação daqueles homens, cura todos eles. Depois de curados, apenas um dos leprosos volta e agradece ao Senhor pelo milagre que havia acontecido. Essa história se faz tão viva nos dias de hoje como a época de seu acontecimento. A partir dessa história, podemos encontrar basicamente dois grupos de pessoas.
O primeiro grupo é composto de pessoas que são extremamente abençoadas por Deus a exemplo dos nove leprosos. Aqueles homens receberam uma cura extraordinária. Sem dúvida alguma, era algo que eles desejavam e sonhavam por muito tempo. O leproso era completamente excluído do convívio social. A pessoa perdia de uma só vez sua saúde, família, trabalho e sua função na sociedade. Logo, ser curado da lepra não era apenas uma cura física, era acima de tudo uma cura do homem por inteiro. Era uma reinserção da pessoa no convívio social. Era o resgate de tudo aquilo que se havia perdido. E talvez, esse seja justamente o motivo pelo qual eles não voltaram para agradecer. A cura que eles tanto queriam encheu o coração novamente de sonhos, de projetos e de possibilidades, e, por causa da bênção, eles se encontraram muito ocupados para agradecer a Deus. Muitas vezes isso acontece conosco. Desejamos tanto alguma coisa e quando finalmente recebemos, aquilo que tanto desejamos acaba nos ocupando tanto que esquecemos em primeiro lugar que quem nos deu foi o Senhor. Ou então, nos sentimos tão merecedores daquilo que esquecemos que TUDO que temos e somos vem de Deus e volta para Deus.
O segundo grupo é um grupo bem menor. Nesse texto, especificamente, é composto de apenas uma pessoa. Alguém que recebeu o que sempre sonhou. Alguém que a exemplo dos outros também tinha muitas coisas para fazer. Penso que esse homem deve ter feito uma lista de prioridades caso um dia fosse curado. Essa lista deveria incluir: abraçar todos da minha família, reaver o trabalho que eu abandonei, reencontrar todos os meus amigos, voltar a ocupar a posição que eu tinha no meu grupo de convívio, festejar todos os dias a cura extraordinária com as pessoas que eu amo, etc. Mesmo com tantas coisas para fazer, aquele homem lembrou-se, antes de tudo, de que todas essas coisas seriam possíveis unicamente porque Jesus de Nazaré o havia curado. Com esse sentimento de gratidão e reconhecimento no coração, ele deixa TODAS as coisas para depois, volta e se prostra diante de Jesus como sinal de gratidão pela bênção extraordinária que havia recebido.
Eu me arrisco a afirmar que existem apenas esses dois grupos de pessoas no mundo, porque TODOS somos extremamente abençoados por Deus, quer alguns percebam ou não. Mesmo aqueles que enfrentaram ou enfrentam dificuldades extremas, o simples fato de poderem ler hoje essa pastoral, já demonstra que o bem mais precioso que se pode ter, que é a vida, ainda está em suas mãos. E isso já é uma grande bênção. Mesmo com todas as lutas e dificuldades, você ainda está de pé. Mas, em muitos outros casos, a vida está tão bem que o puro esquecimento e ingratidão nos impedem de reconhecer que Deus é a fonte disso tudo.
Tenhamos em nossa vida a plena consciência, em todo o tempo, de que somos filhos amados pelo Pai. Que ele tem nos abençoado de todas as formas que podemos imaginar, e que precisamos nos prostrar diante dele reconhecendo esse amor e bondade em nossas vidas.
Pr. Miquéias Lima (PIB do Recreio)

2 comentários:

Denise Malafaia Cerqueira disse...

Su, isto me faz lembrar do que Deus tem feito na vida do nosso pai.
Por isso não canso de agradecê-lo por tudo o que Ele tem realizado entre nós,né maninha?
Agradeço a Deus por sua vida tão preciosa da Silvinha, do Joice, que estiveram ali naqueles dias em que papai voltou para casa. Sei que foi uma barra, mas o Senhor os fortaleceu,e os renovou.
Como vocês são preciosos, querida!
Bjs no seu lindo coração!

Malafaia disse...

Dê,
Sei que não esteve conosco fisicamente, mas com certeza, o fortalecimento que tivemos nesses dias, se deu por conta de muitos que se uniram, e intercederam por nós, dentre essas pessoas, amadas, não poderia faltar o maestro, unindo todos em um só objetivo, de cantar em uníssono uma prece; a canção agradou a Deus, e fomos agraciados com toda a sorte de bênçãos. Obrigada por sempre se colocar na brecha por nós. Te amo!